NOTÍCIAS
Trend

Caso Tatiane Spitzner: Luís Felipe Manvailer muda toda a versão e agora revela amnésia

Luís Felipe Manvailer, acusado de matar a esposa, alegou amnésia e diz que não se lembra do que aconteceu.

Segundo a defesa de Luís Felipe Manvailer, um pedido para exclusão de provas e o laudo da morte de Tatiane Spitzner será pedido, uma vez que algumas solicitações dos advogados do réu não foram atendidas. Dentre elas, um laudo do réu.

De todo modo, o próprio Ministério Público do Paraná (MP-PR), pediu um laudo médico e o mesmo foi anexado ao processo na última sexta (10). Neste novo documento, o réu do processo revela que teve amnésia e não se lembra do que aconteceu.

O laudo médico, que também apresenta uma avaliação psiquiátrica de Luis Felipe, diz que ele acredita que a mulher pulou a sacada, mas não tem certeza. De todo modo, a defesa ainda discorda do laudo e pediu a impugnação da prova.

Defesa sustenta que Luís Felipe Manvailer não matou Tatiane Spitzner

O resultado do laudo foi impugnado pela defesa, já que os advogados sustentam que o cliente não matou a mulher.

A defesa também pediu que o réu fosse transferido, de maneira urgente, para  Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, depois que ele tentou tirar a própria vida. Para evitar que uma transferência desnecessária fosse feita, o MP-PR, pediu novo laudo psiquiátrico, para comprovar (ou não) o risco que ele pode causar a si próprio.

Luis Felipe Manvailer é réu no processo (Foto: Reprodução/Facebook)
Luis Felipe Manvailer é réu no processo (Foto: Reprodução/Facebook)

Luís Felipe está preso na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG) e no local, ele teria tentado se cortar com uma navalha de barbear.

O que diz o laudo médico de Luís Felipe

Segundo o G1, que teve acesso ao documento, o laudo médico relata ainda que Luis Felipe disse, em conversa com o advogado, que sua vida acabou como professor, além de sua relação interpessoal e vida amorosa. O documento médico também diz que Luis Felipe Manvailer argumentou “todos já o julgam como se tivesse assassinado a esposa”.

Ele disse que usou maconha cinco vezes na vida, mas nenhuma delas foi recente e, que tinha apenas bebido gim e vodka.

O laudo também diz que Manvailer chorou durante a avaliação e não explicou o motivo de ter limpado o elevador das manchas de sangue e de ter “fugido rumo Paraguai”.

Últimas palavras de Tatiane Spitzner comovem

Segundo a promotora: “Uma testemunha contou que viu a Tatiane na varanda, olhando para baixo, como se estivesse tentando fugir”. Além disso, duas amigas contaram que, na noite da morte, a advogada falou para elas: “Hoje vou ficar solteira”, sendo estas, consideradas suas últimas palavras.

Ela, infelizmente, não conseguiu ficar solteira em vida. Acabou morrendo antes. Para Dúnia, o homem também não esboçou nenhum tipo de remorso pelas imagens. Ele pega o corpo de Tatiane, e ainda tem tempo de olhar para as unhas, parecendo que deu o soco em alguém.

A advogada pública também disse que não acredita que ela tenha pulado e sim se jogado. De todo modo, se ela tiver se jogado, foi tentando escapar das agressões, o que, juridicamente, tem o mesmo efeito.

Luís Felipe é indiciado pela morte e por vários outros crimes

O Ministério Público do Paraná tinha, até a última segunda-feira (6), para apresentar denúncia contra o suposto assassino de Tatiane Spitzner, o ex-marido Luis Felipe Manvailer. E assim foi feito, o MP-PR apresentou denúncia contra o réu, não só pela morte, mas como por outros crimes.

O biólogo e professor responderá na Justiça pelo crime contra sua ex-esposa, que morreu no dia 22 de julho, por homicídio, mas com quatro qualificadoras. Se aceitas integralmente, todas as denúncias, ele terá se se defender das acusações de feminicídio, meio cruel, dificultar a defesa da vítima e motivo torpe.

Estas são as qualificadoras, ou os agravantes do crime, na visão do MP. Mas não para por aí, ele também foi indiciado por outros crimes. Luís Felipe Manvailer, em depoimento à Justiça, se disse inocente.

TV MRNews

Tags

HUGO GONSALVES

Formado em Engenharia Elétrica pela UnB, me especializei em jornalismo colaborativo pela FTP em nível de pós-graduação. hugo.reis@oimeliga.combr

Artigos relacionados

Close