NOTÍCIAS
Trend

Caso Vitória Gabrielly: Bruno e Mayara teriam sido torturados para confessar, suspeitos podem ser libertados

Quem matou Vitória Gabrielly? Suspeito teria sofrido abuso e tortura para confessar crime 'costela e crânio quebrados'

O MRNews já vem alertando há algum tempo que as provas contra  Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges Abrantes seriam fracas e a polícia acabou indiciando os dois apenas sob provas testemunhais. Quem colocou os dois na cena do crime foi Julio Cesar Ergesse, em testemunho. Entretanto, nenhum material genético dos dois e nem o celular de ambos esteve em Araçariguama.

Na última sexta-feira (31), no ‘Cidade Alerta‘, programa de Luiz Bacci, novas provas no caso Vitória Gabrielly vieram à tona e mudariam muita coisa. Até mesmo a possibilidade de sêmen de Julio Cesar em uma peça íntima foi levantada após perícia.

Mãe diz que filho foi torturado

Agora, nesta segunda-feira (2), a mãe de Bruno Marcel veio a público para denunciar tortura a seu filho. Segundo a mãe de Bruno, ele estaria com um afundamento de crânio, com uma costela quebrada e com várias lesões no corpo. Tudo teria se passado na própria cadeia. Ele teria sido forçado a assumir a autoria do crime.

A mãe está convicta que o filho não tem culpa. Ela tem conhecimento que Bruno é um ‘fora da lei’, já que ele foi acusado de tráfico de drogas. Apesar disto, a mãe está certa que ele não cometeu o crime contra Vitória Gabrielly e apesar de toda a suposta tortura, nunca confessou ter participado.

Luiz Bacci levanta a questão das provas sobre as lesões

Contrapondo a mãe, o apresentador do ‘Cidade Alerta’ lembrou que as lesões em questão são fáceis de se constatar e um advogado poderia pedir que ele vá ao IML para fazer os exames pertinentes. A situação ficou apenas no âmbito das suposições.

Provas contra Bruno e Mayara são circunstanciais – suspeitos podem ser libertados

A verdade é que a pressão por resultados fez com que a Polícia Civil de São Paulo acelerasse as investigações e algo pode ter sido deixado de lado. Tudo porque, segundo o ‘Cidade Alerta’ de sexta-feira, as novas provas obtidas poderão levar a reabertura das investigações do caso.

Contra Bruno e Mayara, pesam apenas o faro do cão, que teria apontado a presença de Bruno na cena do crime, além do testemunho de Julio Cesar. Nada foi encontrado na casa e nem no

Novamente, Bacci deixou claro que trata-se, ainda, de hipóteses, e nada ainda foi confirmado. O caso corre em segredo de Justiça, por isto, o que se sabe, acontece por relato de pessoas próximas, com acesso ao processo.

Calcinha encontrada pode apontar abuso

Uma peça íntima, que ainda não se sabe de quem é, foi encontrada e após análise, foi encontrado material produzido pela próstata masculina, com DNA compatível com Júlio César.

No automóvel suspeito de levar a menina, também foram encontrados vestígios de outras pessoas que não são de  Bruno Marcel de Oliveira e Mayara Borges Abrantes. Aparentemente uma outra mulher esteve no veículo e, por conta disto, o caso ganha novo suspeito, ainda não identificado.

Com informações do ‘Cidade Alerta’.

 

TV MRNews

Tags

R. HUGO

Especializado em jornalismo colaborativo pela FTP em nível de pós-graduação. suporte@oimeliga.combr

Artigos relacionados

Close