NOTÍCIAS
Trend

Caso Tatiane Spitzner: laudo da causa morte aponta que ela morreu antes de cair

Segundo o diretor do IML, houve luta corporal antes do crime.

O laudo oficial da morte, em breve, será anexado ao processo, mas, segundo o diretor do IML, Paulino Pastre, Tatiane Spitzner e Luis Felipe Manvailer lutaram antes da jovem morrer. “Há um acervo de fotografias extremamente extenso que foi encaminhado hoje para as autoridades judiciárias apontando que houve luta entre as partes antes da morte”, afirmou.

Algumas marcas no pescoço da vítima também garantem que a mulher foi agredida e as marcas do pescoço não deixam dúvidas. Também havia alto teor alcoólico no corpo da vítima, sugerindo que ela estava muito fragilizada no momento da morte.

Associado ao laudo e a outras provas, como ranhuras na sacada, compatíveis com unhas e esmalte femininos e o laudo de fissura no pescoço de Tatiane, o advogado da família não tem dúvidas em afirmar que ela foi morta antes de cair e ainda, que o assassino é mesmo o ex-marido.

“A família Spitzner recebe com muita tristeza a confirmação de que Tatiane já estava morta quando foi jogada da sacada por Luis Felipe Manvailer. É necessário termos acesso ao Laudo, mas sua conclusão é mais uma prova de que o acusado mente: ele a matou dentro do apartamento, submetendo-a um período prolongado de violentas agressões físicas. Não houve suicídio, mas feminicídio e fuga do criminoso”, afirma por meio de nota o advogado assistente de acusação, contratado pela família, Gustavo Scandelari.

O advogado de Luis Felipe, Cláudio Dalledone, disse que não iria se manifestar antes de ter acesso ao laudo do IML, já que o documento está em fase de anexação ao processo.

MAIS SOBRE O CASO TATIANE SPITZNER

Caso Tatiane Spitzner: Luís Felipe Manvailer muda toda a versão e agora revela amnésia

Caso Tatiane Spitzner: Luís Felipe Manvailer tenta se matar se ‘salva’ da cadeia

Caso Tatiane Spitzner: Luís Felipe é indiciado pela morte e por vários outros crimes

PERÍCIA

Para a perícia, foram usados três bonecos e em todos os casos, não dá para precisar, exatamente, a mecânica da morte. Entretanto, por conta da mureta da varanda ter 93 centímetros de concreto e mais 30 centímetros de vidro, não é possível passar de maneira ágil para o lado de fora, inviabilizando a versão de Luis Felipe.

“A mureta da sacada possui altura total de aproximadamente 93 cm (noventa e três centímetros), confeccionada em concreto na região inferior com mais 30 cm (trinta centímetros) de vidro e borda em metal, totalizando 1,23 m (um metro e vinte e três centímetros) de altura total aproximada. Esta altura impossibilita a passagem para o lado externo de maneira ágil, contradizendo o depoente que declarou”, aponta o laudo.

O réu nega que tenha jogado Tatiane Spitzner pela varanda.

Luís Felipe é indiciado pela morte e por vários outros crimes

O Ministério Público do Paraná tinha, até a última segunda-feira (6), para apresentar denúncia contra o suposto assassino de Tatiane Spitzner, o ex-marido Luis Felipe Manvailer. E assim foi feito, o MP-PR apresentou denúncia contra o réu, não só pela morte, mas como por outros crimes.

O biólogo e professor responderá na Justiça pelo crime contra sua ex-esposa, que morreu no dia 22 de julho, por homicídio, mas com quatro qualificadoras. Se aceitas integralmente, todas as denúncias, ele terá se se defender das acusações de feminicídio, meio cruel, dificultar a defesa da vítima e motivo torpe.

Estas são as qualificadoras, ou os agravantes do crime, na visão do MP. Mas não para por aí, ele também foi indiciado por outros crimes. Luís Felipe Manvailer, em depoimento à Justiça, se disse inocente.

TV MRNews

Tags

R. HUGO

Especializado em jornalismo colaborativo pela FTP em nível de pós-graduação. suporte@oimeliga.combr

Artigos relacionados

Close