NOTÍCIASSERVIÇOS
Trend

Diário de atirador de Campinas cita outros massacres e pode dar pistas de motivação do crime

Homem teve um diário descoberto onde citava, possivelmente, outros massacres e pode dar pistas sobre sua motivação.

O homem que cometeu o massacre em uma igreja em Campinas e acabou vitimando cinco pessoas de maneira fatal, além de outros que ficaram feridos, tinha um diário que foi revelado nesta quarta-feira (12). A identidade do homem já havia sido revelada, ele é Euler Fernando Grandolpho, um homem que, segundo a Polícia, teria uma personalidade ‘estranha’, estava desempregado e morava em condomínio de classe média-alta em município próximo a Campinas, também no estado de São Paulo.

A polícia, na terça (11), fez diligências na casa do homem que se matou e encontrou, dentre os materiais digitais e anotações, um diário que citava, inclusive, o massacre de Realengo, que aconteceu em uma escola no município do Rio de Janeiro.

Diário de atirador de Igreja de Campinas é encontrado e pode dar pistas sobre a motivação do crime

A Polícia Civil de São Paulo, agora busca encontrar motivações para o crime que aconteceu na igreja de Campinas. Nos materiais de Grandolpho que foram recolhidos, um dos que mais chamou a atenção foi um diário que o homem faz, possivelmente, uma referência ao massacre no Ceará e outro em uma escola de Realengo. Parte dos materiais digitais ainda não foram periciados, uma vez que continham senhas e proteções por softwares que dependem de algum tempo até que os especialistas quebrem a encriptação e as proteções.

No primeiro trecho que despertou a atenção dos policiais, ele diz que passeava com o cão e alguém gritou ‘e aí Ceará’ às paredes, falando do massacre que o estado viveu há alguns meses.

Na sequência, em 31/01 deste ano, ele teria dito ‘E aí Realengo’, uma possível referência  ao massacre em uma escola na região do Rio de Janeiro.

Relembre a tragédia

No início da tarde desta terça-feira (11), um homem, a princípio desconhecido na região, sentou-se em um dos bancos da Catedral de Campinas. Assim que a celebração da missa terminou, o homem que estava de posse de duas armas, começou a disparar, até então, aparentemente a esmo e acabou atingindo oito pessoas. Quatro delas acabaram morrendo no local. Além das pessoas, o próprio atirador tirou sua vida usando uma das armas, quando seria abordado pela polícia. Um outro homem chegou a ser encaminhado para a Beneficência Portuguesa, mas não resistiu e morreu já na unidade. Entre os outros feridos, duas mulheres foram socorridas – uma de 25 anos para o Hospital Mário Gatti e a outra de 40 para o HC (Hospital das Clínicas) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Uma terceira pessoa também foi para o Mário Gatti.

Parte da tragédia foi gravada pelas câmeras de segurança da igreja e mostraram o ‘modus operandis’ do suspeito.

TV MRNews

Tags

R. HUGO

Especializado em jornalismo colaborativo pela FTP em nível de pós-graduação. suporte@oimeliga.combr

Artigos relacionados

Close