NOTÍCIASSERVIÇOS

Casal de idosos é preso por suspeita de matar e enterrar a própria nora viva, netos teriam papel importante

Caso Márcia Martins Miranda, sogros são suspeitos de matar nora e enterrá-la viva

Polícia Civil de São Paulo prendeu um casal suspeito de matar e enterrar a nora Márcia Martins Miranda no quintal de uma casa alugada na Zona Norte de São Paulo. A mulher estava desaparecida desde o dia 2 de outubro e, após investigações, um corpo foi encontrado no quintal desta casa no dia 05 de novembro. Os exames para identificar a identidade do cadáver estão sendo realizados, mas a polícia desconfia se tratar de Márcia, que era assistente social e coordenadora do CREAS do bairro Butantã.

A principal linha de investigação da polícia é que a vítima tenha sido sequestrada pelos próprios sogros e possa ter sido asfixiada ou até mesmo enterrada viva, após ter sido golpeada na cabeça.

O laudo do IML, além de ajudar a reconhecer se o corpo é mesmo da mulher, ajudará na identificação da causa da morte.

Os sogros, Maria Izilda Pereira Miranda e Fernando Antônio Martins de Oliveira, foram presos no dia 18 de outubro e continuam em cárcere.

O assassinato

A polícia acredita que o corpo encontrado enterrado é mesmo da vítima e aguarda apenas o laudo do IML para reunir as provas periciais. A versão montada pela polícia mostra que Márcia foi sequestrada no dia de seu sumiço em frente a um banco na mesma região onde morava. Ela teria entrado no carro do casal e, desde então, não foi mais vista. O casal teria atraído a servidora com a proposta de criar uma conta bancária para os netinhos. Também iriam oferecer o imóvel, palco do possível crime, para que ela morasse com os pequenos.

A partir daí ela teria sido levada ao imóvel onde seu corpo foi encontrado na última segunda-feira. Ela teria sido golpeada por trás na cabeça e asfixiada ou até mesmo enterrada ainda com vida.

A motivação

O motivo do crime seria a obsessão do casal pelos netos. Segundo a polícia, os avós não suportavam a ideia da separação de Márcia com seu filho, já que os netos poderiam se distanciar. O imóvel então foi alugado justamente para o crime. Ainda para corroborar com a versão da polícia, Fernando, um dos suspeitos, teria ligado para uma loja de materiais de construção e pedido pás e cimento, o que mostra a premeditação e crueldade do crime. A polícia descarta a possível participação do filho do casal preso.

TV MRNews

R. HUGO

Especializado em jornalismo colaborativo pela FTP em nível de pós-graduação. suporte@oimeliga.combr

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close