NOTÍCIAS

Caso Daniel: testemunhas desmentem versão de Edison, Allana e Cristiana e família presa toda será indiciada

Quatro testemunhas que estavam na casa de Edison Brittes no momento da tortura com posterior morte do jogador Daniel Corrêa, que era do clube São Paulo e estava emprestado para o São Bento, depuseram esta semana e mostraram alguns pontos em comum e todas elas contradisseram em momentos o depoimento de Juninho Riqueza. Todos afirmaram que não ouviram nenhum tipo de grito de socorro de Cristiana Brittes.

Outro ponto em comum em relação aos depoimentos é que não houve qualquer tipo de arrombamento da porta, caracterizando que Daniel não fez o trancamento por dentro do quarto, como também foi sustentado pelos suspeitos. Para complicar ainda mais a vida dos suspeitos, os relatos sugerem que não havia novidade nos atos de Edison. em determinado momento Cristiana fala para Allana, que estava completamente transtornada  “não deixa seu pai fazer isso dentro da minha casa, você sabe como ele é”, disse a esposa do suspeito.

Na versão de Edison Brittes Junior, o que desencadeou sua ação violenta foi o fato de ter ouvido a esposa gritar por socorro e depois, de vê-lo tentando abusar de Cris, atacou-o e bateu, posteriormente matando-o. O corpo de Daniel foi encontrado com marcas de tortura, quase decepado e suas partes íntimas foram-lhe arrancadas.

Juninho Riqueza, aliás, tem extensa ficha criminal, por conta principalmente de porte ilegal de armas. Ele está preso preventivamente, assim como estão sua esposa e sua filha, que, para o delegado do caso, mentiram em seus depoimentos à polícia. O profissional da Polícia Civil ainda garantiu que irá indiciar os três por homicídio qualificado e coação de testemunha.

Testemunha afirma que ouviu suspeito dizer que Daniel mexeu com mulher de bandido

Em suma, confira a seguir o que cada uma das quatro testemunhas disse de novidade

Primeira testemunha

  • Não ouviu pedido de socorro
  • Não viu sinais de arrombamento
  • Viu Daniel sendo agredido mas que nem Cristiana nem Allana não fizeram nada para interferir.
  • Viu o suspeito levar da cozinha uma faca para matar Daniel.

Segunda testemunha

  • Nem Allana nem Cristiana pediram para não bater em Daniel
  • Ouviu Daniel pedir por sua vida e dizer que não queria morrer
  • Viu Edison pedir ‘a faca’

Terceira testemunha

  • Disse que ouviu Edison dizer que “mexeu com mulher de bandido, é isso que acontece”.
  • Revelou que Edison disse que Daniel tinha mexido com sua mulher

Quarta testemunha

  • Assim como todas as outras testemunhas, disse que viu Edison sair para comprar bebidas no domingo às 8h e que depois de 20 minutos ouviu a confusão
  • Cristiana pediu para não matar Daniel dentro de casa, mas não interviu em nada.
  • Também não viu arrombamento da porta

TV MRNews

R. HUGO

Especializado em jornalismo colaborativo pela FTP em nível de pós-graduação. suporte@oimeliga.combr

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close